Mutilação Genital Feminina

No dia 15 de janeiro, realizou-se a formação "Mutilação Genital Feminina - reconhecer para atuar", da responsabilidade na Unidade de Saúde Pública do ACES Amadora e inserida no projeto de Promoção e Educação para a Saúde do Agrupamento. A formação contou com a presença de 30 elementos da comunidade educativa.

Dado o perfil de imigração em território português, Portugal foi considerado um país de risco no que diz respeito à mutilação genital feminina (DGS, 2012). Este risco prende-se essencialmente com a prática em comunidades imigrantes oriundas da África Subsariana, especialmente da Guiné-Bissau, Senegal, Guiné Conakri.
Municípios da área metropolitana de Lisboa, onde se inclui a Amadora, representam um território que necessita abordar esta temática, de uma forma integrada e continuada, tanto ao nível da prevenção como no apoio a raparigas/mulheres já submetidas a esta prática.